Como usar de maneira certa a frase “Não te conheço de algum lugar?”

28 jan

Sabe aquelas festinhas menores que normalmente comemoram o aniversario, a chegada ou despedida de alguém? Aquelas reuniãozinhas em apartamento com um numero limitado de pessoas, das quais muitas podem lhe ser desconhecidas mas não necessariamente estranhas. Quem nunca foi numa festinhas como essa? Não chega a ser uma balada, mas muitas das vezes elas presenteiam com verdadeiros docinhos – e não estamos falando dos canapés, ok? O interesse por uma mulher nessa situação é despertado das mas diferentes maneiras. Podem ser porque você olhou e gamou numa amiga bonita do aniversariante, ou porque rolou um charminho com uma mina na hora que você foi pegar a cerveja no balde de gelo. O destino te presenteou com uma situação que possibilite um contato com ela sem malabarismo, não deixe a bola passar. Seja coincidência do encontro dos dois no balde de cerveja, na entrada e na saída do banheiro, num guardanapo que ela deixe cair e que você se abaixa e pega enfim, se pintou um acaso, olho no olho, faça um charme, uma expressão interrogativa e emende “eu não te conheço de algum lugar?“. Calma gente, sem desespero, até porque é assim mesmo. Se há um lugar onde esse jurássico xaveco pode pegar, esse lugar é aqui. Você não estão nessa festa por acaso, há um ponto convergente na presença dos dois. Vocês tem conhecidos em comum. Ou seja, seria possível realmente que você a conhece de algum lugar (mesmo sabendo que isso não é verdade, ela vai cogitar a hipótese). Quando ao universalmente gorado e mal sucedido “eu não te conheço de algum lugar?“, você pode até trazer essa obviedade ao seu favor. Quando for dizer a frase, faça-o meio sorrindo como que já admitindo a falta de originalidade, e em seguida complete dizendo “nossa, desculpa falar essa frase já manjada, mas é que é verdade, cê não me é estranha”. Faça um charme, tire um sarro de si mesmo, mas insista na possibilidade de realmente conhecer a gatinha. Pergunte de onde ela conhece o dono da festa, e por ai vai. Deixe em stand by a suspeita de conhece-la ou não, termine esse assunto se apresentando e perguntando o nome dela. O lance é que a partir disso, um papo entre vocês esta iniciando. Pergunte o que ela faz, coisas sobre a vida dela, do que gosta; lembre-se que vocês estão numa festinha em que o ato de “bater papo” é a principal atividade. Não é uma casa noturna, não ha pista de dança. Seja um cara agradável e insista na conversa. Cabe a você sentir se há espaço para beija-la ali ou se a melhor estratégia é garantir um futuro contato. Isso tudo pode depender muito do tipo da festinha, do espaço físico que o ambiente proporciona, e evidente da disposição da gatinha escolhida. O bacana é que você pode fazer dessa dessuada investida a sua maios parceira para conhecer a gatinha que perseguia com os olhos desde quando chegou na festa. Perceba como é possível ser original onde a primeira vista não é originalidade alguma. Boa festa😉

Dica: Só use esse xaveco se realmente rolar um acaso e você se toparem no meio da festa. Ir até ela e aborda-la com essa famosa pergunta NÃO é legal. Faça a coisa parecer espontânea.

Dica 2: Não é difícil imaginar que é possível esse acaso seja provocado por você. Force esse encontro casual num ponto estratégico da casa e lance, com total naturalidade, a pergunta.

‘L’

Deixe um comentário sobre o conteúdo acima.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: